A importância de utilizar a análise de custo como ferramenta de gestão

  • Cláudio de Oliveira Brandão FAIPE
  • Suzimar Pereira de Oliveira Campos Facul
  • Antonia Maria Martins Gonçalves Faculdade FAIPE

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar como fazer o gerenciamento e de como usar de forma estratégica os custos, revelando a compreensão de muitos fatores dentro de uma organização, tais como detalhes de como a análise de custos funciona e os principais erros cometidos por empresas. O objetivo desse artigo é trazer a compreensão da análise de custos, demostrando que uma análise bem-feita é essencial para o sucesso e a importância da cooperação de todos dentro de uma empresa. Foi realizado pesquisas na internet, em livros e artigos, de um modo conciso e claro foi abordado o tema analise de custos, visando a atualidade. Será feito uma abordagem da visão das empresas sobre administração de custos, como era a análise de custos nos primórdios, os tipos de custos e a importâncias de conhecermos os princípios de uma análise de custos com resultados. Esse artigo pretende mostrar o quanto é importante a utilização da análise de custos como ferramenta de gestão para o crescimento das empresas.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##
1  INTRODUÇÃO

 

 

A análise de custos é uma ferramenta estratégica no processo decisório, sendo indispensável na execução de diversas tarefas gerenciais, tais como, formação de preço, otimização da produção, valorização do estoque, entre outros. É usada pelas empresas para ter uma noção mais exata dos gastos que a empresa está tendo para se manter operante. Ela integra a contabilidade de custos, área contábil que cuida dos gastos ocorridos na produção de bens e serviços.

Tecnicamente falando, a análise de custos é o registro contábil das operações produtivas da empresa por meio das contas de custeio, que podem ser divididas em: custos de serviços (gastos que acontecem na prestação de serviços) e custos industriais (gastos que ocorrem na produção de mercadorias).

Essa análise se faz, principalmente, sobre os custos fixos ou custos indiretos, ou seja, aqueles que não se modificam com a produção, que se mantêm praticamente inalteráveis. Isso porque os custos variáveis ou diretos são mais difíceis de serem analisados, pois variam conforme a produção aumenta ou diminui.

A qualidade da informação disponível é essencial para a qualidade da tomada de decisão. Um sistema de informação eficiente é imprescindível para o sucesso gerencial. Administrar nada mais é do que o exercício de tomada de decisão.

De acordo com Neto (2008), a análise de custos é imprescindível para a determinação de lucro da organização, no controle de suas operações, pois se tem a necessidade de saber o que de fato se está fazendo e na tomada de decisões, para que a partir de então, as ações de produção e prestação de serviços sejam realizadas.

 

2  GERENCIAMENTO E ESTRATÉGIA DE CUSTOS
  • Principais erros

Analise de custo é utilizada por empresas e permite saber os seus gastos e maneiras de obter lucro. Esta intrinsecamente vinculada com a área da contabilidade e seu principal papel é manter o lucro e evitar a ruina da empresa, segundo (Wappa 2017), “as contas de custeio podem ser divididas em: custos de serviços (gastos que acontecem na prestação de serviços) e custos industriais (gastos que ocorrem na produção de mercadorias)”.

 

 

Análise de custos mostra como anda o desempenho dos funcionários, além disso auxilia os gestores da empresa a inserir novos planejamentos para melhoria. Podemos afirmar que analise de custos é sem dúvida a melhor maneira de manter uma empresa bem estabilizada, ou seja, uma análise mau aplicada poderá trazer diversos prejuízos para a empresa.

 

Os principais erros de uma análise são: não possuir nenhum sistema ou controle das finanças, uso do caixa 2, falta de controle e registros de estoque, setor financeiro ineficiente ou inexistente, desconhecimento dos custos e das despesas, vender a prazo sem saber o custo financeiro ou se existe recursos financeiros, valor das retiradas dos sócios ou capital a ser aportado, confusão dos patrimônios, Falta de demonstrativo de resultados ou contabilidade. (Gestão Contábil 2017).

 

  • Não possuir nenhuma forma de controle: Esse é um dos piores erros dentro de uma empresa, não ter nenhum controle das finanças, é preciso entender que o faturamento não é lucro e que as vendas não são do dono da
  • Uso do caixa 2: Esse erro leva muitas empresas a ruina, o ideal seria nunca fazer
  • Falta de controle e registros de estoques: Inúmeras empresas caem no erro de ter mercadorias sem registro, sem nota fiscal e quando descoberto levam grande prejuízo.
  • Setor financeiro ineficiente ou inexistente: Existem muitas empresas com setor financeiro sem prepara e algumas nem existe esse setor, simplesmente administram de qualquer jeito, sem nenhum
  • Desconhecimento de custos e das despesas: Muitos donos de empresa não têm noção alguma dos custos de produtos e das despesas dentro da sua empresa, um erro que leva ao desequilíbrio do negócio.
  • Vender a prazo sem saber o custo financeiro ou se existe recursos financeiros: Esse acontece comumente em tempos de crise financeira onde as empresas obtêm por vender parcelado e acabam tendo muito prejuízo.
  • Valor das retiradas dos sócios ou capital a ser aportado: Esse é um erra comum onde a retirada dos valores dos sócios acontece de modo desenfreado
  • Confusão dos patrimônios: Acontece entre muitos empresários e sócios que entram em confusão dos seus
  • Falta de demonstrativo de resultados ou contabilidade: Muitos empresários não sabe o real lucro do seu negócio, não tem nenhum demonstrativo e isso também configura um grave

No Brasil percebemos facilmente a necessidade de uma boa analise de custos, vivemos uma crescente crise financeira, com isso empresas de médio e grande porte chegam a falência, o número de desempregados aumenta a cada dia, isso prova que a administração das empresas está péssima e com uma análise muito precária.

Quando se ouve a cerca de análise de custos não é tão fácil compreender o que o assunto aborda, porém, esse artigo pretende esclarecer de forma clara o que de fato vem a ser analise de custos, é essencial que os pesquisadores e cientistas procurarem aprofundar mais, pois este tema está em constante evolução.

 

2.2   Analise de Custos nos Primórdios

 

 

Nos primórdios a renda e o lucro vinha da produção agrícola, não havia as atuais tecnologias para auxiliar na análise de custos, mesmo assim, podemos afirmar que já existia a tecnologia e a preocupação com os gastos já era analisada desde sempre, trabalhavam para gastar menos e lucrar mais, desta forma, era necessário analisar esses gastos.

Para manter o controle dos gastos era necessária bastante habilidade no ramo da agricultura, a tecnologia já ajudava, porém não havia tanto avanço tecnológico, organizar os trabalhadores na agricultura dividindo as funções era um dos desafios do chefe, sendo que isto iria definir consequentemente no lucro ou no prejuízo do negócio.

A realidade é que sempre existiu analise de custos, o ser humano sempre está em constante desenvolvimento e visando o lucro, em meio ao prejuízo que todo empreendedor passa, investir em análise para melhoria é a primeira ideia de todo empreendedor.

 

A Contabilidade de Custo surgiu pela necessidade de avaliar estoques nas indústrias, por volta do século XVIII, quando acontecera a Revolução Industrial e teve como base a Contabilidade Financeira ou Contabilidade Geral, que foi sendo desenvolvida na Era Mercantilista para servir de grande base estrutural para as empresas comerciais. (JOSÉ, 2009)

 

 

2.3   Diferentes tipos de custos

 

Existem inúmeros tipos de custos, o termo carrega na integra o significado da palavra custos, de qualquer produto, esse custo varia e tem o valor que irá compensar tanto para empresa como para os consumidores, o custo de um produto carrega alguns elementos, como a mão de obra, despesas, qualidade do produto e entre outros.

Os mais conhecidos tipos de custos são: “custo fixo, custo variável, custo de reposição, custo de vida, custo de direito, custo indireto, custo global, custo marginal, custo médio, custo unitário”. (JOSÉ, 2009).

 

  • Custos fixo: São custos que não mudam, independentemente da quantidade do trabalho e da qualidade.
  • Custos Variável: Como diz o próprio nome são os custos que mudam de acordo com a qualidade e quantidade do serviço.
  • Custos de reposição: São os custos das novas mercadorias que que serão que chegam
  • Custos de vida: São gastos feitos pela
  • Custos direto: São os custos aplicados diretos a produção.
  • Custo indireto: São os custos das despesas que se aplicam indiretamente a produção
  • Custo Global: São os custos gerais ou
  • Custo Marginal: São os custos aumentam a quantidade do produto e diminui os
  • Custo médio: É a determinação dos custos nas empresas
  • Custo Unitário: São os gastos de uma unidade de produção.

É importante que o empreendedor tenha conhecimento dos diferentes tipos de custo e que os funcionários da empresa também conheçam, existe outros tipos, porém esses são os mais conhecidos.

Em geral os custos são os valores de um produto, o empreendedor de sucesso consegue adequar esse custo de acordo com a condição dos clientes, trazendo assim a satisfação, os clientes possuem um perfil de pessoas que querem um produto de ótima qualidade e com um preço justo.

 

 

2.4   Organização dos Materiais

 

 

Custos existem porque existe matérias ou produtos, dentro de uma empresa de médio ou grande, existem departamentos responsável por cada área específica dentro da empresa, como por exemplo, departamento de compras, departamento de vendas, departamento de logística, departamento de planejamento e outros.

Empresas mau organizadas tendem a ter mais gastos e pouco lucro, essas empresas geralmente tem funcionários insatisfeitos e com pouco desempenho no trabalho, esse é um dos motivos que leva muitas empresas a falências, manter a organização dos produtos de uma empresa é essencial para seu bom desenvolvimento.

Analisar os custos e investir em produtos são os mecanismos usados pelas empresas, sem esses mecanismos é impossível ter um negócio de sucesso, essa analise pode começar na observação dos produtos que são mais lucrativos, ou seja, aqueles que o público mais procura.

Quando falamos de análise de custos não podemos esquecer que os serviços prestados têm inúmeras característica, sendo elas:

 

Alto contato com o cliente, participação do cliente no processo, perecibilidade, não tocável, mão-de-obra-intensa, custos lead times, output variável ou padronizado, intangibilidade, dificuldade de se medir produtividade, dificuldade em medir qualidade. (MARTINS, LAUGENI, 2017, p.365).

 

A análise de custos é utilizada como forma de precificar, satisfazer os clientes com o menor custo além de proporcionar competitividade no mercado. Esse tema se torna relevante  a proporção em que estrategicamente é utilizado como ferramenta de gestão.

 

3  CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

Destaca-se que a análise de custos surge não como a única solução, mas como a melhor solução para o sucesso de uma empresa, existem inúmeras estratégias para o crescimento e lucratividade de uma empresa, porém a análise de custos é considera essencial por ser a mais destacada na atualidade.

Saber analisar significa conseguir gastar menos e lucrar mais, uma empresa que gasta mais e lucra menos não está tendo uma boa analise de custo, vale ressaltar a necessidade de conhecer a melhor estratégia do seu próprio negócio.

Saber gerenciar e usar de forma estratégica os custos revelam a compressão de muitos fatores dentro de uma organização. A partir de um bom gerenciamento a organização vem a ter maior controle de seus gastos e de onde pode investir, eliminar desperdícios, entre outras ações.

 

 4 REFERÊNCIAS   ASSAF NETO, Alexandre. Finanças corporativas e valor. – 3. ed. – 2. reimpr. – São Paulo: Atlas, 2008.  

 

Gestão Contábil. Quais os principais erros na Gestão Financeira de uma empresa? Disponível em: <https://gestaocontabilonline.com.br/quais-os-principais-erros-na-gestao- financeira-deuma-empresa/>. Acesso em: 17 de abril. 2018.

 

 

LUIZ, JOSÉ. Surgimento. Disponível em: http://teoriascontabeis.blogspot.com.br/2009/09

 

 

MARTINS, LAUGENI. Administração da produção e operações. ed. São Paulo: SaraivaUni, 2017. P. 365.

 

 

Wappa. Entenda a importância da análise de custos empresariais. Disponível em: <https://blog.wappa.com.br/entenda-a-importancia-da-analise-de-custos-empresariais>. Acesso em: 17 de abril. 2018

##submission.authorWithAffiliation##
1  INTRODUÇÃO

 

 

A análise de custos é uma ferramenta estratégica no processo decisório, sendo indispensável na execução de diversas tarefas gerenciais, tais como, formação de preço, otimização da produção, valorização do estoque, entre outros. É usada pelas empresas para ter uma noção mais exata dos gastos que a empresa está tendo para se manter operante. Ela integra a contabilidade de custos, área contábil que cuida dos gastos ocorridos na produção de bens e serviços.

Tecnicamente falando, a análise de custos é o registro contábil das operações produtivas da empresa por meio das contas de custeio, que podem ser divididas em: custos de serviços (gastos que acontecem na prestação de serviços) e custos industriais (gastos que ocorrem na produção de mercadorias).

Essa análise se faz, principalmente, sobre os custos fixos ou custos indiretos, ou seja, aqueles que não se modificam com a produção, que se mantêm praticamente inalteráveis. Isso porque os custos variáveis ou diretos são mais difíceis de serem analisados, pois variam conforme a produção aumenta ou diminui.

A qualidade da informação disponível é essencial para a qualidade da tomada de decisão. Um sistema de informação eficiente é imprescindível para o sucesso gerencial. Administrar nada mais é do que o exercício de tomada de decisão.

De acordo com Neto (2008), a análise de custos é imprescindível para a determinação de lucro da organização, no controle de suas operações, pois se tem a necessidade de saber o que de fato se está fazendo e na tomada de decisões, para que a partir de então, as ações de produção e prestação de serviços sejam realizadas.

 

2  GERENCIAMENTO E ESTRATÉGIA DE CUSTOS
  • Principais erros

Analise de custo é utilizada por empresas e permite saber os seus gastos e maneiras de obter lucro. Esta intrinsecamente vinculada com a área da contabilidade e seu principal papel é manter o lucro e evitar a ruina da empresa, segundo (Wappa 2017), “as contas de custeio podem ser divididas em: custos de serviços (gastos que acontecem na prestação de serviços) e custos industriais (gastos que ocorrem na produção de mercadorias)”.

 

 

Análise de custos mostra como anda o desempenho dos funcionários, além disso auxilia os gestores da empresa a inserir novos planejamentos para melhoria. Podemos afirmar que analise de custos é sem dúvida a melhor maneira de manter uma empresa bem estabilizada, ou seja, uma análise mau aplicada poderá trazer diversos prejuízos para a empresa.

 

Os principais erros de uma análise são: não possuir nenhum sistema ou controle das finanças, uso do caixa 2, falta de controle e registros de estoque, setor financeiro ineficiente ou inexistente, desconhecimento dos custos e das despesas, vender a prazo sem saber o custo financeiro ou se existe recursos financeiros, valor das retiradas dos sócios ou capital a ser aportado, confusão dos patrimônios, Falta de demonstrativo de resultados ou contabilidade. (Gestão Contábil 2017).

 

  • Não possuir nenhuma forma de controle: Esse é um dos piores erros dentro de uma empresa, não ter nenhum controle das finanças, é preciso entender que o faturamento não é lucro e que as vendas não são do dono da
  • Uso do caixa 2: Esse erro leva muitas empresas a ruina, o ideal seria nunca fazer
  • Falta de controle e registros de estoques: Inúmeras empresas caem no erro de ter mercadorias sem registro, sem nota fiscal e quando descoberto levam grande prejuízo.
  • Setor financeiro ineficiente ou inexistente: Existem muitas empresas com setor financeiro sem prepara e algumas nem existe esse setor, simplesmente administram de qualquer jeito, sem nenhum
  • Desconhecimento de custos e das despesas: Muitos donos de empresa não têm noção alguma dos custos de produtos e das despesas dentro da sua empresa, um erro que leva ao desequilíbrio do negócio.
  • Vender a prazo sem saber o custo financeiro ou se existe recursos financeiros: Esse acontece comumente em tempos de crise financeira onde as empresas obtêm por vender parcelado e acabam tendo muito prejuízo.
  • Valor das retiradas dos sócios ou capital a ser aportado: Esse é um erra comum onde a retirada dos valores dos sócios acontece de modo desenfreado
  • Confusão dos patrimônios: Acontece entre muitos empresários e sócios que entram em confusão dos seus
  • Falta de demonstrativo de resultados ou contabilidade: Muitos empresários não sabe o real lucro do seu negócio, não tem nenhum demonstrativo e isso também configura um grave

No Brasil percebemos facilmente a necessidade de uma boa analise de custos, vivemos uma crescente crise financeira, com isso empresas de médio e grande porte chegam a falência, o número de desempregados aumenta a cada dia, isso prova que a administração das empresas está péssima e com uma análise muito precária.

Quando se ouve a cerca de análise de custos não é tão fácil compreender o que o assunto aborda, porém, esse artigo pretende esclarecer de forma clara o que de fato vem a ser analise de custos, é essencial que os pesquisadores e cientistas procurarem aprofundar mais, pois este tema está em constante evolução.

 

2.2   Analise de Custos nos Primórdios

 

 

Nos primórdios a renda e o lucro vinha da produção agrícola, não havia as atuais tecnologias para auxiliar na análise de custos, mesmo assim, podemos afirmar que já existia a tecnologia e a preocupação com os gastos já era analisada desde sempre, trabalhavam para gastar menos e lucrar mais, desta forma, era necessário analisar esses gastos.

Para manter o controle dos gastos era necessária bastante habilidade no ramo da agricultura, a tecnologia já ajudava, porém não havia tanto avanço tecnológico, organizar os trabalhadores na agricultura dividindo as funções era um dos desafios do chefe, sendo que isto iria definir consequentemente no lucro ou no prejuízo do negócio.

A realidade é que sempre existiu analise de custos, o ser humano sempre está em constante desenvolvimento e visando o lucro, em meio ao prejuízo que todo empreendedor passa, investir em análise para melhoria é a primeira ideia de todo empreendedor.

 

A Contabilidade de Custo surgiu pela necessidade de avaliar estoques nas indústrias, por volta do século XVIII, quando acontecera a Revolução Industrial e teve como base a Contabilidade Financeira ou Contabilidade Geral, que foi sendo desenvolvida na Era Mercantilista para servir de grande base estrutural para as empresas comerciais. (JOSÉ, 2009)

 

 

2.3   Diferentes tipos de custos

 

Existem inúmeros tipos de custos, o termo carrega na integra o significado da palavra custos, de qualquer produto, esse custo varia e tem o valor que irá compensar tanto para empresa como para os consumidores, o custo de um produto carrega alguns elementos, como a mão de obra, despesas, qualidade do produto e entre outros.

Os mais conhecidos tipos de custos são: “custo fixo, custo variável, custo de reposição, custo de vida, custo de direito, custo indireto, custo global, custo marginal, custo médio, custo unitário”. (JOSÉ, 2009).

 

  • Custos fixo: São custos que não mudam, independentemente da quantidade do trabalho e da qualidade.
  • Custos Variável: Como diz o próprio nome são os custos que mudam de acordo com a qualidade e quantidade do serviço.
  • Custos de reposição: São os custos das novas mercadorias que que serão que chegam
  • Custos de vida: São gastos feitos pela
  • Custos direto: São os custos aplicados diretos a produção.
  • Custo indireto: São os custos das despesas que se aplicam indiretamente a produção
  • Custo Global: São os custos gerais ou
  • Custo Marginal: São os custos aumentam a quantidade do produto e diminui os
  • Custo médio: É a determinação dos custos nas empresas
  • Custo Unitário: São os gastos de uma unidade de produção.

É importante que o empreendedor tenha conhecimento dos diferentes tipos de custo e que os funcionários da empresa também conheçam, existe outros tipos, porém esses são os mais conhecidos.

Em geral os custos são os valores de um produto, o empreendedor de sucesso consegue adequar esse custo de acordo com a condição dos clientes, trazendo assim a satisfação, os clientes possuem um perfil de pessoas que querem um produto de ótima qualidade e com um preço justo.

 

 

2.4   Organização dos Materiais

 

 

Custos existem porque existe matérias ou produtos, dentro de uma empresa de médio ou grande, existem departamentos responsável por cada área específica dentro da empresa, como por exemplo, departamento de compras, departamento de vendas, departamento de logística, departamento de planejamento e outros.

Empresas mau organizadas tendem a ter mais gastos e pouco lucro, essas empresas geralmente tem funcionários insatisfeitos e com pouco desempenho no trabalho, esse é um dos motivos que leva muitas empresas a falências, manter a organização dos produtos de uma empresa é essencial para seu bom desenvolvimento.

Analisar os custos e investir em produtos são os mecanismos usados pelas empresas, sem esses mecanismos é impossível ter um negócio de sucesso, essa analise pode começar na observação dos produtos que são mais lucrativos, ou seja, aqueles que o público mais procura.

Quando falamos de análise de custos não podemos esquecer que os serviços prestados têm inúmeras característica, sendo elas:

 

Alto contato com o cliente, participação do cliente no processo, perecibilidade, não tocável, mão-de-obra-intensa, custos lead times, output variável ou padronizado, intangibilidade, dificuldade de se medir produtividade, dificuldade em medir qualidade. (MARTINS, LAUGENI, 2017, p.365).

 

A análise de custos é utilizada como forma de precificar, satisfazer os clientes com o menor custo além de proporcionar competitividade no mercado. Esse tema se torna relevante  a proporção em que estrategicamente é utilizado como ferramenta de gestão.

 

3  CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

Destaca-se que a análise de custos surge não como a única solução, mas como a melhor solução para o sucesso de uma empresa, existem inúmeras estratégias para o crescimento e lucratividade de uma empresa, porém a análise de custos é considera essencial por ser a mais destacada na atualidade.

Saber analisar significa conseguir gastar menos e lucrar mais, uma empresa que gasta mais e lucra menos não está tendo uma boa analise de custo, vale ressaltar a necessidade de conhecer a melhor estratégia do seu próprio negócio.

Saber gerenciar e usar de forma estratégica os custos revelam a compressão de muitos fatores dentro de uma organização. A partir de um bom gerenciamento a organização vem a ter maior controle de seus gastos e de onde pode investir, eliminar desperdícios, entre outras ações.

 

 4 REFERÊNCIAS   ASSAF NETO, Alexandre. Finanças corporativas e valor. – 3. ed. – 2. reimpr. – São Paulo: Atlas, 2008.  

 

Gestão Contábil. Quais os principais erros na Gestão Financeira de uma empresa? Disponível em: <https://gestaocontabilonline.com.br/quais-os-principais-erros-na-gestao- financeira-deuma-empresa/>. Acesso em: 17 de abril. 2018.

 

 

LUIZ, JOSÉ. Surgimento. Disponível em: http://teoriascontabeis.blogspot.com.br/2009/09

 

 

MARTINS, LAUGENI. Administração da produção e operações. ed. São Paulo: SaraivaUni, 2017. P. 365.

 

 

Wappa. Entenda a importância da análise de custos empresariais. Disponível em: <https://blog.wappa.com.br/entenda-a-importancia-da-analise-de-custos-empresariais>. Acesso em: 17 de abril. 2018

Publicado
2019-05-25
Como Citar
BRANDÃO, Cláudio de Oliveira; CAMPOS, Suzimar Pereira de Oliveira; GONÇALVES, Antonia Maria Martins. A importância de utilizar a análise de custo como ferramenta de gestão. REVISTA FAIPE, [S.l.], v. 9, n. 1, p. p. 12-17, may 2019. ISSN 2179-9660. Disponível em: <http://revistafaipe.com.br/index.php/RFAIPE/article/view/127>. Acesso em: 17 june 2019.
Seção
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##