A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO MULTIPROFISSIONAL DA SÍNDROME DE EAGLE

revisão integrada

  • Jorge Licolins P. Soares Doutorando em Biologia Oral Universidade do Sagrado Coração Baurur/SP
  • Salvione Freire Rodrigues Graduando em Odontologia pela Faculdade Paulo Picanço – Fortaleza/CE
  • Alexandre Magno dos Santos Doutorando em Biologia Oral Universidade do Sagrado Coração Baurur/SP
  • Odara Maria Soares Mollgaard Medica do Programa de Saúde da Familia da PMI Ipojuca/PE

Resumo

A alteração no processo estiloide, sendo alongamento e/ou calcificação dos ligamentos que dele se originam, é caracterizada por um conjunto de sintomas, que podem estar relacionadas a quadros sintomatológicos na região de cabeça e pescoço, incluindo a cavidade bucal, sendo assim determinada por exames físicos e radiológicos para comprovar a síndrome de Eagle (SE). O diagnóstico apresenta sintomas variados e confusos, sendo necessário avaliação radiológica fornece parâmetros mais objetivos, existem dificuldades para diagnosticar a SE, pela não atuação dos multiprofissionais em plantões e/ou ambulatórios juntos para obter o diagnóstico correto da SE, essa falta de interação é uma falha no Brasil. Realizar uma revisão integrativa sobre a importância da avaliação de pacientes com esses sintomas: dor, limitações craniofacial e cervical. Demostrar os desafios que os multiprofissionais enfrentam para realizar o diagnóstico. Foi realizada revisão integrativa nas bases de dados Pubmed, plataforma CAPES e Cochrane com artigos primários, no total 30, sendo selecionados 20 artigos, utilizando os descritores: diagnóstico, síndrome de Eagle e multiprofissional. Os critérios de inclusão foram: trabalhos originais, relatos de caso e artigos em inglês e português; excluíram-se trabalhos que não contemplam o assunto e revisões bibliográficas diagnóstico da SE inclui a avaliação de variações físicas, anatômicas, e alterações características a ser comprovada por exames radiográficos, o mais relevante dado é que não existe em parte do diagnostico uma equipe multiprofissional como: Médicos, Dentistas, Enfermeiros no mesmo centro de ambulatório atuando no fechar do diagnóstico, como em países de primeiro mundo. Que a interação dos profissionais de saúde se faz necessária para o melhor diagnostico da SE, tornado mais rápido e eficaz, evitando em muitas vezes semiologia de prognósticos errados ou abertos levando os pacientes a buscar diversos centros de saúde. A equipe multiprofissional plantonista em hospitais e ambulatórios deverá ser uma nova realidade se for implantada no nosso país, para isso faz necessária a criação de leis e políticas públicas voltadas a assistência integrada.

Publicado
2018-03-17
Como Citar
SOARES, Jorge Licolins P. et al. A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO MULTIPROFISSIONAL DA SÍNDROME DE EAGLE. REVISTA FAIPE, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 24-30, mar. 2018. ISSN 2179-9660. Disponível em: <http://revistafaipe.com.br/index.php/RFAIPE/article/view/79>. Acesso em: 25 mar. 2019.
Seção
Odontologia