INCIDÊNCIA DE DOR EM DENTES PORTADORES DE POLPA MORTA

  • Ivana Oliveira BARBOSA
  • Rosana Maria Coelho TRAVASSOS

Resumo

O objetivo do estudo foi avaliar a incidência da dor pós-operatória em polpas mortas com ou sem lesão periapical, após o preparo do sistema de canais radiculares através de uma escala analógica visual adaptada onde os participantes classificaram a dor em 4 categorias: 0- ausência de dor; 1- dor leve; 2- dor moderada; 3- dor severa, nos períodos de 4, 8, 12, 24 e 48 horas, após preparo do sistema de canais radiculares. Os resultados mostraram que a dor obteve percentual mais elevado em dentes portadores de lesão periapical sendo mais freqüente nas primeiras 8 horas após realizado o preparo biomecânico e medicação intracanal (hidróxido de cálcio). Sendo 38,1% nas primeiras 4 horas e 23,8% após 8 horas, e no grupo sem lesão periapical existiu dor apenas no período de 4 horas (10,5%). Conclui-se que a prevalência de dor após preparo biomecânico e medicação intracanal à base de hidróxido de cálcio foi baixa, sendo maior em canais radiculares portadores de lesão periapical.

Biografia do Autor

Ivana Oliveira BARBOSA

Universidade de Pernambuco- UPE

Rosana Maria Coelho TRAVASSOS

Universidade de Pernambuco- UPE

Referências

BROADMAN, L. M.; RICE, L. J.; HANNALLAI-I, R. S. Testing the validity of an objective pain scale for infants and children. Anesthesiology, v. 69, n. A770, 1988.
DECNOP, E. C. B., et al. Avaliação da Associação Dipirona Sódica-Paracetamol no controle da dor pós-operatória após limpeza e modelagem do sistema de canais radiculares. Revista Riso, v. 2, n. 12, jul./dez. 2004.
DE DEUS, Q. D. Endodontia: tratamento das emergências das condições inflamatórias agudas de origem endodôncica. 5. ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 1992. cap. 16, p. 565-576.
FABRICIUS L., DAHLÉN G., OHMAN A.E. J. Predominant indigenous oral bacteria isolated from infected root canals after varied times of closure. Scand J Dent Res, v. 90, p. 134-40, 1982.
FERREIRA, G. S., LIMA, G. A. Flarep endodôntico: Causas, prevenção e tratamento. Clín. Científ., v. 2, n. 1, p. 87-160, maio/ago. 2002.
FURTADO, M. A. H. et al. Avaliação da dor pós-operatória na terapia endodôntica em tratamentos realizados em sessão única e sessão múltipla. J Brás. Endod., v. 5, n. 20, p. 398-404, 2005.
LOPES, H. P.; SIQUEIRA Jr., J. F. Biologia e técnica. 2. ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2004. cap. 25. p. 787-799.
MATTSCHECK, D. J.; LAW, A. S.; NOBLETT, W. C. Retreatment versus initial root canal treatment: factors affecting posttreatment pain. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod., v. 92, n. 3, p. 321-324, Sep. 2001.
OLIVEIRA, L. A. O controle da dor em endodontia. Anais... Congresso Internacional de Odontologia do DF, 9. 21 a 24 mar. 2001 Faculdade de Odontologia de Anápolis Disponível em: http://www.ibemol.com.br/ciodf2001/111.asp. Acesso em: 6 maio 2006.
SJÖGREN, U. et al. Factors affecting the long-term results of endodontic teatment. J endod. v. 16, n. 10, p. 498-504, Oct. 1990.
SUNDQVIST, G., DAVID, G., SJÔGREN, U. Microbiologic analysis of teeth with failed endodontic treatment and the out come and conservative re-treatment. Oral Surg Oral Med Oral Pathol., v. 85, p. 86-93, 1998.
Publicado
2021-04-16
Como Citar
BARBOSA, Ivana Oliveira; TRAVASSOS, Rosana Maria Coelho. INCIDÊNCIA DE DOR EM DENTES PORTADORES DE POLPA MORTA. REVISTA FAIPE, [S.l.], v. 10, n. 2, p. p. 56-67, apr. 2021. ISSN 2179-9660. Disponível em: <https://revistafaipe.com.br/index.php/RFAIPE/article/view/214>. Acesso em: 10 may 2021.
Seção
Endodontia

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##