CANDIDÍASE BUCAL

ASPECTO CLINICO E TRATAMENTO

  • Carina da Rosa Cirurgiã dentista, aluna do curso de Esp. em Prótese Dentária, FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Viviane Curi Doutora em Ciências da Saúde (USP/FAMERP/SP), Mestre em Ciências da Saúde (USP/FAMERP/SP), Especialista em Periodontia (USP/SP), docente da graduação em Odontologia FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Andrei Rosa Doutorando em Ciências Odontológicas Integradas (UNIC/MT), Mestre em Ciências Odontológicas Integradas (UNIC/MT), Especialista em Implantodontia (ABO/MT), docente da graduação em Odontologia FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Antonio Carlos Gargioni Filho Doutor em Odontologia (UNITAU/TAUBATÉ), Especialista em Periodontia (FUNORTE/MONTES CLAROS), Odontoligia Hospitalar (IIEP AE/SP) e Gestão de Pessoas e Organizações (UNIRONDON), docente da graduação em Odontologia FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Cyra Maria Pires de Carvalho Bianchi Cirurgiã dentista, Mestre em Ciências da Saúde, Especialista em Periodontia (FASERRA/MT), Dentística (UNIC/MT), Microbiologia (UNOESTE/SP), docente da graduação em Odontologia FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Tahyná Duda Deps Pós-doutorado em Epidemiologia (UFMG), Doutorado em Odontopediatria (UFMG), Mestre em Odontopediatria (UFMG), docente da graduação em Odontologia FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Marcus Vinicius Crepaldi Cirurgião denstista, Doutor em Ortodontia (USP), Mestre em Ortodontia, Docente da Pós-Graduação em Ortodontia FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Maria de Lourdes Silva Crepaldi Doutora em Educação (Pontifíca Universidade Catóçica de São Paulo), Diretora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da FAIPE. Faculdade Garça Branca Pantanal.
  • Melissa Guimarães Crepaldi Acadêmica em Odontologia FAIPE. . Faculdade Garça Branca Pantanal.

Resumo

A odontologia nos dias de hoje se faz necessário o exame clinico onde se diagnostica os tipos de doenças que podem ser causada por uma má higienização, a presença da candidíase por exemplo ela está presente em todas as pessoas, porém só se manifestam caso haja algum aspecto na cavidade bucal que influência o seu desenvolvimento, ou até mesmo por imunidade baixa, entre outros. Com isso foi diagnosticado que podem apresentar-se como aguda ou crônica principalmente em pacientes que fazem o uso da prótese por muito tempo, e isso colabora para o aparecimento dos fungos cândida albicans, causando consequências ao meio bucal. Com a presença da candidíase muitos pacientes tem a sensação de ardência, edema, eritema, mau hálito, e queimação na cavidade oral, podendo causar um certo desconforto no paciente, onde a presença do fungo com maior frequência encontrasse presente no palato. Durante o diagnostico no exame clinico a conduta terapêutica se faz necessária afim de melhorar as condições de saúde bucal do paciente, onde o tratamento varia desde pomadas como a nistatina, daktarim gel, até o uso do medicamento como o fluconazol em casos em que o tratamento tópico não surja efeito. O tratamento varia dependendo o grau em que se encontra a lesão causada pelos fungos da cândida. A prevenção se faz necessária para todos os tipos de pacientes, principalmente os que fazem uso constante da prótese, onde está relacionado uma correta higienização tanto da mucosa quanto da prótese, removendo a mesma para uma adequada limpeza. Com isso previne-se vários tipos de outras doenças que podem desenvolver-se na cavidade oral.  Para um resultado mais rápido a conscientização do paciente é muito importante. O presente estudo foi realizado através da revisão de literatura utilizando como fontes, artigos e revistas on-line. Conclui-se então que a candidíase ou candidose é um tipo de fungo, presente na cavidade bucal de todos os pacientes, porém só se manifestam em casos em que os pacientes estiverem com imunidade comprometida, podendo ser também pelo uso de próteses mal adaptadas e consequentemente uma má higienização.

Referências

ARAÚJO, R. R. et al. Perfil da candidíase bucal em clínica estomatologia. Arquivo brasileiro de odontologia, v. 33, 2003.
BATISTA, M. J.; BIRMAN, G. E.; CURY, E. A. Suscetibilidade a antifúngicos de cepa de cândida allbicans isoladas de pacientes com estomatite protética. Rev Odontol. Univ. São Paulo, v.13, n.4, p.343-348, out/dez.1999.
COSTA, I. C.; FELIPE, I.; GAZIRI, L. C. J. Resposta Imune a Cândida allbicans. Ciências biológicas e da saúde, v. 29, n. 1, p. 27-40, jan./jun. 2008.
FALCAO, P. F. A; SANTOS, B. L.; SAMPAIO, M. N. Candidíase associada a prótese dentária. Feira de Santana, n. 30, p. 135-146, jan./jun. 2004.
FREIRE, P. C. J. et al. Candidíase oral em usuários de prótese dentárias removíveis: Fatores associados. Arch Healt Invest., v. 6, n. 4, p. 159-161, 2017.
NETO, M. M.; DANESI, C. C.; UNFER, T. D. Candidíase Bucal. Saúde, Santa Maria, v. 31, n. 1-2, p. 16-26, 2005.
PARAGUASSU, M. G. et al. Rev. Cubana de Estômatol., v. 48, n. 3, p. 268-276, 2011.
PEIXOTO, V. J. et al. Candidíase-uma revisão de literatura. Minas Gerais-Ipatinga, v. 8, n. 2, p. 75-82, jun./ago. 2014.
PLAS, D. VAN. Candidíase oral: manifestações clínicas e tratamento. Porto: Faculdade da Ciência de Saúde, 2016.
SCARLECIO, M. et al. Estomatite protética versus candidíase: diagnóstico e tratamento. RGO, Porto Alegre, v. 55, n. 4, p. 395-398, out./dez.2007.
SILVA, M. G. Candidíase Oral: Sintomas, diagnóstico, tratamentos. Ariquemes, jun. 2013.
WINGETER, A. M. et al. Identificação Microbiológica e sensibilidade in vitro de cândida isoladas da cavidade oral de indivíduos HIV positivo. Rev. Da sociedade brasileira de medicina tropical, v. 40, n. 3, p. 272-276, maio/jun. 2007.
Publicado
2021-06-08
Como Citar
DA ROSA, Carina et al. CANDIDÍASE BUCAL. REVISTA FAIPE, [S.l.], v. 11, n. 1, p. 155-163, june 2021. ISSN 2179-9660. Disponível em: <https://revistafaipe.com.br/index.php/RFAIPE/article/view/239>. Acesso em: 14 june 2021.
Seção
ODONTOLOGIA

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##